Maior articulação do corpo humano, o joelho é responsável pela sustentação de 70% do peso de toda a estrutura corporal. Ele também é quem sofre demasiadamente com a sobrecarga de exercícios, principalmente na musculação. O ortopedista Rodrigo Serikawa de Medeiros, do Instituto de Video-artroscopia, Ortopedia e Traumatologia (Ivot) de Londrina, orienta que é importante distribuir o esforço nas diferentes articulações ao se exercitar na academia, além de evitar apoiar-se nos ligamentos dos joelhos.

A dor é um sinal de alerta de que algo pode estar errado. Por isso, ele faz um alerta. "Não faça exercícios físicos se estiver sentindo dor", orienta. Na musculação, é indispensável a supervisão de um profissional da área para não sobrecarregar a região da perna com cargas muito elevadas. Não tenha pressa para ganhar músculos, pois a sobrecarga causa o envelhecimento das articulações.

"Movimentos errados, postura inadequada e falta de intervalos durante as séries podem causar muitos e sérios problemas no joelho. Rotineiramente recebemos pessoas com quadros de desgaste da cartilagem, dos meniscos, lesões nos tendões e ligamentos, provocados justamente pela sobrecarga de exercícios no joelho", conta o especialista.

Exercícios de agachamento com as duas pernas tendem a forçar o ligamento, os meniscos e os tendões e ainda podem facilitar o aparecimento de inflamação nos tendões, degeneração na cartilagem e nos meniscos.

Segundo Medeiros, os flexores de joelho, que são exercícios para glúteos e músculos atrás das coxas, também apresentam riscos quando usados de forma incorreta. "Eles podem prejudicar os tendões ou inflamar a região posterior do joelho", sustenta o ortopedista.

A inflamação ou o desgaste da cartilagem do joelho é um problema recorrente não só para quem pega pesado no treino, mas também para as pessoas que apresentam sobrepeso. "Esse desgaste da cartilagem é o maior problema que o sobrepeso pode causar ao joelho, podendo até avançar para uma artrose, se não houver mudanças de hábito", explica.

Mas o que fazer? Parar de treinar? Não. Segundo Medeiros, é preciso proteger os joelhos. Para tanto, o aconselhável é fortalecer os músculos das pernas, do quadril, do abdômen e da lombar.

ESPORTES DE CONTATO

O cuidado também deve ser redobrado com esportes como futebol, tênis, vôlei e basquete, que oferecem maior risco de lesões. "O esporte mais popular em nosso país, o futebol, é um grande vilão nas lesões do joelho. As torções comumente causam lesões, como roturas de meniscos ou de ligamentos que resultam em abordagem cirúrgica", observa Medeiros.

Para completar, a articulação do joelho é muito exposta e bastante vulnerável. Diferentemente de outras articulações do corpo humano, que são cobertas por grupos musculares, o joelho tem como única proteção a pele, o que o deixa mais desprotegido de traumas.

O médico explica que muitas das lesões são causadas pela mudança brusca de direção - quando o jogador que está correndo precisa parar rapidamente para mudar de sentido. Nesse movimento, o joelho sofre uma torção e os ligamentos podem se romper. Depois de rompidos, alguns dos ligamentos só são recuperados com cirurgia e colocação de enxerto, pois não podem ser costurados como a pele.