Movimento de desaceleração no tênis
Movimento de desaceleração no tênis

Você pratica esportes que exigem saltos e desacelerações bruscas como basquete e futebol? Então tenha cuidado se não quiser adquirir uma tendinite patelar.  A lesão, também conhecida como “joelho do saltador”, é uma das mais comuns e que mais afeta os atletas de rendimento e os de final de semana, conforme alerta o ortopedista Ciro Veronese dos Santos, especialista em joelho do Instituto de Vídeo-artroscopia, Ortopedia e Traumatologia (Ivot), de Londrina.

“Ela até pode parecer inofensiva, mas se não tratada corretamente, pode impedir definitivamente a pessoa de praticar esportes”, alerta.

De acordo com o especialista, a tendinite patelar é um processo inflamatório que atinge o tendão patelar, mais comum na sua porção junto ao polo inferior da patela. Isso se dá, entre outras causas, devido aos movimentos realizados durante a desaceleração no esporte. Segundo pesquisas, até 20% dos atletas sofrem com o problema.

“O esforço repetitivo sobre o tendão patelar e do quadríceps, durante o salto, por exemplo, é uma das principais causas. Em esportes como futebol, basquete, vôlei, handebol e corrida de rua essa desaceleração é muito frequente, o que aumenta o número de pessoas com o problema, já que são esportes muito populares”, aponta Veronese, lembrando que excesso de peso, excesso de esforço – o chamado overtraining -  e encurtamento da musculatura também contribuem para o surgimento da tendinite patelar.

“Os sintomas da lesão são dores continuas no joelho. No começo, apenas após as atividades físicas. Quando a tendinite começa a avançar, as dores já são sentidas também durante a atividade. Progressivamente, as dores passam a ser contínuas podendo levar à ruptura completa do tendão doente, exigindo reparação cirúrgica”, descreve o ortopedista.

Ele lista a diminuição das atividades, aplicação de gelo por períodos de 20 minutos após as atividades, realização de alongamentos em toda a musculatura e o reforço muscular como forma de prevenir a tendinite patelar.

“Ao perceber o início dos sintomas, é importante procurar um especialista para avaliar e diagnosticar o caso. Quanto antes o tratamento for iniciado, mais chances de evitar uma cirurgia”, finaliza Veronese.